FEIRA DE ARTESANATO, EM BALDIM.

FEIRA DE ARTESANATO, EM BALDIM.

segunda-feira, 22 de março de 2010

ASILO SÃO VICENTE



Capela do Asilo São Vicente de Paulo
____________________________________________________
FUNDAÇÃO DO ASILO
O nome correto do Santo é São Vicente de Paulo, pois era nome composto e não sobrenome como a gente costuma pensar. A origem do Asilo, hoje, Lar da Boa Esperança, foi a Casa de Caridade, que ficava na Várzea, fim da Rua do Jatobá, caminho pra Pousada Tia Salete, (hoje de propriedade de João Afonso Ferreira). Lá havia um casarão antigo, em ruínas, que abrigava os indigentes da época, que viviam da caridade alheia, e como era uma época de muita carestia, viviam muito mal. Egídio Silva, após ter a filha acometida de uma doença grave e durante uma longa internação, ele fez a promessa que obtendo a cura da mesma, construiria o novo prédio do asilo. O que de fato aconteceu, ele liderou a construção, teve a ajuda (salvo engano) da viúva ou do próprio Pedro Sabino (pai do vereador Arnaldo Sabino), e de tantas outras pessoas que a gente sabe, que nossa gente é só ter quem lidera que faz proezas inacreditáveis. Foram construídas assim as duas primeiras alas de quartos que ainda existem na Rua João Barbosa de Matos (outra pessoa que merece nossa homenagem, foi um dos primeiros vicentinos de Baldim, muito lutou para que essa sociedade - SSVP- existisse em Baldim, caso pra outra hora). Desde então tivemos pessoas de grande valor, que no anonimato e somente por amor ao próximo muito fizeram e muito suportaram para ajudar os menos favorecidos de Baldim, dentre eles: Avelino Andre Bastos, Roldão Reis, Maria José Bastos (Sá Juca), Josefino Claudio de Melo, José Antonino dos Reis, Antonio Lemos, Agostinho Nardin, José Barbosa e Elias Barbosa (esses dois, filhos de João Barbosa de Matos), e tantos outros que merecem ser citados e que agora não me recordo. Atualmente o Lar da Boa Esperança, é uma entidade registrada, que atende muito bem aos seus internos, com qualidade de vida. Antes, viviam da caridade alheia, e como era uma época de muita carestia, viviam muito mal. Desde então tivemos pessoas de grande valor, que no anonimato e somente por amor ao próximo muito fizeram e muito suportaram para ajudar os menos favorecidos de Baldim. Está aberto diariamente para visitas ( o que é mais necessário para os idosos de lá, a maior doação que o Lar precisa hoje em dia é o tempo das pessoas, que devem ir visitar, animar os internos), sempre realiza promoções para lazer dos internos, além da diretoria própria, cujo atual presidente é José Romanholo, é assistido pelas conferências São José, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora do Rosário, Santíssimo Sacramento, São Bernardo, (ambas de Baldim) e também Conferência Nossa Senhora Aparecida de São Vicente. Hoje em dia, para conseguir colocar um idoso lá, tem todo um protocolo a ser seguido, até o Ministério Público tem que dar o aval, não basta apenas querer, melhorou muito as condições de vida dos internos. Se fosse citar o número de benfeitores do Lar da Boa Esperança, o Blog não teria mais nada. Citei apenas alguns já falecidos e que me lembrei. Mas graças a Deus, são inúmeros os benfeitores, e o melhor nenhum fica magoado se não for citado pois todos querem apenas ajudar, ninguém que lá comparece é para se promover. (Prof.Ton)

Ocorreu um erro neste gadget