FEIRA DE ARTESANATO, EM BALDIM.

FEIRA DE ARTESANATO, EM BALDIM.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

AGRADECIMENTOS

 São Vicente
_____________________________________________
A COMUNIDADE DE SÃO VICENTE AGRADECE
Há 2 anos atrás nossa comunidade recebeu como Pároco da Igreja o Padre Gislei, que com seu jeito simples, modesto e sereno logo mostrou a que veio, oferecendo exatamente aquilo que a
comunidade precisava, a reforma do Salão Paroquial, que acolhe hoje todos os movimentos  paroquiais. Padre Gislei formou junto a comunidade novas pastorais, renovando idéias, unindo pessoas, organizando grupos. Mostrou a necessidade da Capela Velório e da conclusão dessaobra.Mais que um Padre é um amigo compreensivo e conselheiro, com seu jeito calado, uma sabedoria majestosa e uma paciência única. A comunidade de São Vicente agradece por tudo.
____________________________
PADRE GISLEI AGRADECE
Quero externar meu sincero agradecimento a todas as pessoas com quem tive a oportunidade de encontrar e conviver ao longo desses 2 anos nas comunidades de São Vicente, Timóteo, Gameleira, Vila Amanda, Vargem Grande e Alto da Cuia. Vim para ficar apenas 4 meses e acabei ficando 2 anos.Para mim foi uma experiência muito boa. Espero que minha presença e dedicação tenha contribuído para a evangelização das pessoas, formando comunidades acolhedoras e comprometidas com os valores do evangelho. Por tudo que aconteceu nessa nossa caminhada e por todos vocês, Deus seja louvado. Muito obrigado a todos e que Deus ilumine na caminhada com o novo Padre de vocês. Um abraço maior que o mundo.( Padre Gislei)
( Marina Lucia Silva Gonçalves)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

CAPELA VELÓRIO




Capela Velório de Baldim
__________________________________________________
BALDIM, UMA CIDADE SEM CAPELA VELÓRIO
 Tá na hora então! Havia costumes na cidade de Baldim que todo o povo prezava e de repente chega um forasteiro que está só de passagem e diz que não pode e todo o povo aceita igualzinho àquele humorista que só dizia assim: "Aé? Aé? e fica inerte, aceita toda mudança mesmo sabendo que está acabando com sua cultura com seus costumes e ponto. A reclamação que farei agora não diz respeito a nenhum forasteiro e nem quero com essa palavra ofender quem a implantou. Um costume antigo que havia na cidade era no momento mais delicado que uma família passava, quando perdia um ente querido, era que a encomendação da alma ou mesmo a missa fosse na Igreja, um padre falou que Igreja é pra gente viva e não pra defunto e todo mundo aceitou caladinho... É claro que Igreja é pros vivos, afinal nenhum defunto vai lá sozinho ou reclama por não ter ido, mas temos que pensar é nos familiares católicos que são destituídos do direito de ter uma última celebração na presença do ente querido dentro da casa Templo que os acolheu em quase todos os momentos. Baldim, além de não possuir o Velório que deveria acolher com dignidade as famílias num momento tão delicado, ainda não podem os católicos passarem na Igreja. Tá feito meu reclame, que voltemos a ter direito de passsar com a procissão de enterro dentro da Igreja Católica em Baldim. Em diversas cidades em nosso redor o costume é mantido, por quê aqui teve que acabar ? Por que não podemos recuperar esse costume que muito bem fará aos familiares que perdem seus entes . (Anônimo)


FALTA VERBA OU VONTADE POLÍTICA?
Oi Anônimo, realmente, Capela Velório é um assunto sério, que não pode esperar por vontade política ou por verba que não chega. Se não tem verba a vontade política providencia uma casa, paga um aluguel, até que chegue a verba para construir a Capela Velório. Já estava previsto que íamos ficar sem Capela Velório... providencias deveriam ter sido tomadas. Entendemos que os tempos mudaram, os costumes mudaram, até a própria Igreja mudou seus conceitos, mas o que nunca vai mudar é o respeito á religiosidade de um povo, uma questão de caridade e de dignidade humana. (Ione, editora do Blog)


NA CAPELA OU NA IGREJA?
Ufa! Até que enfim o blog volta a se agitar! Concordo com tudo que foi dito sobre o Velório e sobre a passagem pela Igreja. É verdadeiramente um absurdo ter parado com o costume. Só lembrando que Pe. Gislei, não tem nada haver com isso por enquanto, porque garanto que até agora ninguém chegou até ele para pedir pro defunto ser encomendado na Igreja, né? Mas quando chegar até ele para pedir, o problema de acabar com o costume, da tradição, será dele também! (Prof. Ton )


UMA QUESTÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA
AHI... Sim, todos defuntos eram levados a Igreja, sim. Mas ..vamos e venhamos...os tempos mudaram...a vida mudou...tudo mudou como diz a nossa querida Ione. E as doenças, os maus que acomentem e levam a óbitos, ficaram mais severos, mais conhecidos,mais divulgados, a população mais conhecedora das doenças,ás vezes são muitas bactérias circulando, muitas que nem conhecemos.E muitas vezes, após um velório, a Comunidade não tem condições de fazer nas Igrejas, uma higienização adequada, para que os vivos possam entrar. RESPEITO sim, muito, todos os falecidos, mas, o mais correto é que sejam velados numa CAPELA VELÓRIO, onde logo após o funeral, seja higienizada adequadamente. Isso , não é desrespeito para com nossos falecidos, e sim cautela com a saúde da Comunidade.SUGESTÃO: Unir forças, equipes, sermos solidários, e lutarem para a construção de uma CAPELA VELÓRIO.
Por (Anônimo )

CAMPANHA PARA A CAPELA VELÓRIO
Oi Anônimo, seu comentário foi muito esclarecedor sobre o lugar adequado para um velório. Os costumes e tradições podem até serem mudados e serem aceitos pelo povo desde que sejam esclarecidos os motivos e sejam propostas as soluções e cumpridas. Volto a repetir, não é uma só uma questão política, é uma questao de dignidade humana. Podemos iniciar aqui uma campanha para construir uma Capela Velório, a exemplo do que está sendo feito em Mucambo, como me disse a Neide Tomás. A de São Vicente está sendo construída. Baldim já foi notícia nacional, quando o CENSO divulgou que foi o único município brasileiro que a população diminuiu. Sem querer fazer piada com a situação, que é séria, acho que o povo de Baldim está morrendo é de medo por não ter onde cair morto. Vamos divulgar isso também, será nosso único recurso? É uma pena que este Blog não tenha o alcance que deveria ter para mobilizarmos a população para uma campanha. Aceitamos sugestões para iniciar uma campanha para a Capela Velório. Obrigada, Anônimo, e ao Ton , que está sempre ligado, pelo apoio de vocês. Pelo menos eu não estou aqui falando cas parede... (Ione, editora do Blog)


PALAVRAS AO VENTO
Ione, saiba que voce nunca falará "ao vento". O Blog é muito acessado , apenas está faltando um pouquinho mais de pessoas com vontade de teclar e passar opiniões. Muitas vezes a gente fala, critica, no intuito da crítica servir como um chamado para a melhoria das coisas, servir de reflexão para uma mudança, para um crescimento. Muitas vezes não somos entendidos mas tenha certeza de que uma hora...um dia aquela palavra semente germinará. (Rosangela Marques)




ESTIMULO PARA CONTINUAR
Ocorreu um erro neste gadget