FEIRA DE ARTESANATO, EM BALDIM.

FEIRA DE ARTESANATO, EM BALDIM.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

PERFIL DO PROFESSOR

 Professores Municipais no Tia Salete
Foto by Marcio Reis
______________________________________________
                                            UM DIA FESTIVO PARA O PROFESSOR  
 No dia 05/11, os funcionários da Secretaria Municipal de Educação - SME  tiveram um dia dedicado somente a eles na Pousada Tia Salete. Após uma decisão do colegiado de diretores e coordenadores municipais de educação, a SME acatou a idéia de oferecer aos seus funcionários um dia de total "relax". Toda a belíssima estrutura da Pousada foi disponibilizada para eles, piscina, sauna, quadras, sinuca, a linda cascata natural recentemente idealizada pelo proprietário, Cláudio, além de um delicioso churrasco muito bem acompanhado. É de se saber, que os profissionais da educação, tem uma dedicação respeitável e o belo trabalho realizado nas escolas lhes asseguraram este merecido dia festivo.
                                     _________________________________________________

Igreja de São Vicente
Foto by Marcio Reis
_____________________________
PERFIL - D. ALDA RIBEIRO
Alda Ribeiro, filha de Totó Ribeiro e D. Conceição, fazendeiros de São Vicente, fez seu Curso Primário na Escolinha Rural de seu tio Aníbal Ribeiro, na Vargem do Capim. Fez o Curso Normal em Belo Horizonte, no Colégio Sagrado Coração de Jesus, formando-se em 1942. Trabalhou na Escola Anexa de Baldim. Fundou as Escolas Reunidas de São Vicente, sendo sua Diretora de 1956 a 1984, quando se tornou Escola Estadual. Fez Faculdade de Pedagogia em São João Del Rei e de Inspecção Escolar em Sete Lagoas. Alda Ribeiro, continuou sendo Diretora da EE Oscar Artur Guimarães, de 1984 até 1994 quando se aposentou , com 45 anos de Magistério. Foi Presidente do Apostolado da Oração e Ministra da Eucaristia. ( do Informativo "Interação")

COMENTÁRIO
Aconteceu algo inédito naquela época, em 1991, o então Secretário de Estado da Educação, o Sr. Walfrido dos Mares Guia, lançou a escolha de Diretores Escolares através de eleições com participação da comunidade escolar (funcionários, professores, pais e alunos, podiam votar). Apenas três Escolas Estaduais, em todo o Estado de Minas Gerais, não poderiam acontecer eleições, visto que as suas diretoras eram concursadas como Administradoras Escolares. Uma delas era a EE Oscar Artur Guimarães, cuja diretora era a competente e dedicada Alda Ribeiro, onde só ocorreu eleição para diretor após a sua saída. Eu tive o privilégio de fazer um pouco do meu estágio como professor de História e Geografia, na Escola Oscar Artur Guimarães. Foi importante para a minha formação ter a oportunidade trabalhar ao lado de D. Alda Ribeiro, de Donália (Supervisora) , Rosângela (Secretária) e dos professores que me receberam tão bem. D.Alda Ribeiro é motivo de orgulho para o município de Baldim. Prof. Ton

PERFIL - D. ISABEL MARQUES
Foi na Escolas Reunidas, "Oscar Artur Guimarães" que eu fiz o meu curso primário. A mais remota lembrança que eu tenho da minha infancia, aos 7 anos,  é da minha professora de primeiro ano, a querida D. Isabel Marques. Isabel Marques era  de Jaboticatubas, ela morava na Rua da Grota, na casa de DMaria Cadete, mãe da Nunuca. Ela era linda, muito branquinha, gordinha, cabeços ralos e curtos, pernas grossas, sempre de saia justa e sapatos de salto alto. Ela tinha um sorriso lindo, de bochechas coradas e covinhas, sempre de batom vermelho, os dentes grandes e separadinhos. O que mais me encantava nela eram as mãos. Os dedos gordinhos e sempre de unhas grandes e pintadas de vermelho, combinando com o batom. Ainda me lembro da sua letra grande e redonda, passando o "Para casa" ( o P maiúsculo parecia um cogumelo) em nossos cadernos ou um texto pra copiar do quadro. Suas unhas eram tão grandes que o giz pequeno fazia aquele assovio no quadro negro, que naquele tempo era negro mesmo. Ela passava pelas carteiras e pousava suas mãos sobre os cadernos para apontar os erros e  aquele era um momento mágico. Hoje ainda sou capaz e imitar a letra de D.Isabel, principalmente as maiúsculas, cheias de curvas. As salas de aula eram de assoalho, de tábuas cruas, sem cera. Os passos de D.Isabel  eram ouvidos assim que ela entrava na sala pela batida do salto na madeira. E fazíamos silêncio até que ela chegasse em sua mesa e puxasse a oração antes de começar a aula. Todos sentados, ela abria um grande caderno de capa dura e fazia a "chamada", falando o nome completo de todos os alunos, que deveriam responder "presente". Já no segundo ano, quando estudamos sobre a Abolição da Escravatura, eu imaginava a Princesa Isabel com a cara da minha professora, D. Isabel. Até hoje, faço essa associação. Minha primeira professora era uma princesa nos meus sonhos. Bons tempos aqueles... (Ione, editora do Blog )
Vila Amanda
Foto by Ione
________________________________
PERFIL - D. MARIA ANÁLIA
Quero prestar uma homenagem a D. Maria Anália, que foi minha professora na primeira série, por algum tempo, e depois novamente na segunda série, mas sempre ela tinha que se afastar antes do término do ano. Ficava com a nossa turma só pra adoçar a nossa boca, até que se afastou em definitivo da regência de turmas. Ela foi para a Biblioteca onde prestou relevantes serviços, e depois tive o privilégio de tê-la novamente como professora no Ginásio. Lá, ela lecionava a AEP - Área Ecônomica Primária, disciplinazinha besta, para muitos sem valor, mas que nas mãos de D. Anália, ganhava status de Língua Portuguesa. Não tinha como não gostar. Desde o primário, o que a gente mais gostava era das histórias e da voz de D. Anália. No Ginásio ela fundou o Clube Agrícola, com Hino e tudo, composto por ela.
HINO DO CLUBE AGRÍCOLA
"NOSSO CLUBE É ESCOLA QUE ENSINA,
NUM AFÃ ARDOROSO QUE DIZ,
QUE NA TERRA RESIDE A CERTEZA
DE UM FUTURO DITOSO E FELIZ
O TRABALHO ENOBRECE E SEDUZ
FAZ NOSSA ALMA PAIRAR NAS ALTURAS
QUEM TRABALHA SEMEIA EM TERRENO
QUE NOS DÁ FORTES MESSES MADURAS"
Quando a gente falava qualquer coisa dentro da sala, D. Anália sempre tinha um causo parecido pra contar que tinha acontecido lá na Vila, como ela se referia a Amanda. Eu vivia doido pra conhecer a Vila de D. Anália. Na minha cabeça de criança devia ser muito melhor que o Sítio do Pica-pau Amarelo. Olha tem um segredo que pouca gente sabe, D. Maria Anália, tem o dom de Deus para ensinar, se alguém não souber matemática e não aprender com ela, é porque não vai aprender de maneira alguma, pode acreditar. Ela faz qualquer emaranhado do mundo dos números, virar um novelo de linha, que só falta achar a ponta... Para D. Anália, minhas homenagens... (Prof. Ton)


 Antiga casa da D. Eufrasia
______________________________
PERFIL - D.EUFRASIA DE MATOS
D. Eufrasia de Mattos, professora nascida e formada em Conceição do Mato Dentro mudou-se para Baldim com sua família, já casada com o Sr. José Torres. D. Eufrasia cedeu um espaço em sua própria casa, hoje, casa da Fina, para formar salas de aulas. D. Eufrasia foi uma das primeiras educadoras na cidade, muito querida e respeitada por todos. Ela trouxe mais professoras de sua terra e as hospedava em sua casa, principalmente primas e sobrinhas, para completar o quadro de professoras da Escola. Outras salas de aula funcionavam em frente, no antigo Hospital, com a Professora Catarina. As escolinhas foram reconhecidas e fundou-se a "Escolas Reunidas de Baldim". Suas filhas, Maria José, Marta e Josefina (Fina) foram professoras muito competentes e queridas na cidade.(Ione, editora do Blog)

COMENTÁRIO
D.Eufrásia, amiga de todos, lúcida, simpática, guardo com muito carinho fotos dela carregando meus dois filhos. O que era mais interessante em D. Eufrásia, era saber que ela tinha sido professora, em uma época que era comum o uso da palmatória, dos castigos físicos para se corrigir os alunos e a gente sempre ouviu que ela nunca encostou um dedo em aluno seu, sempre foi muito carinhosa com todos.(Prof. Ton)

 PERFIL - D.WANY SOARES

Estava no Grupo Escolar, quando uma das primeiras a chegar para votar foi D. Wany Soares, a escola ainda estava vazia, a seção eleitoral nem havia sido aberta, eu corri a dar-lhe um abraço e perguntar se ela havia chegado cedo pra ver se alguém estava sem uniforme, ela com um sorriso lindo, disse que sim, quem estiver sem uniforme, inclusive sapato e meia, teria que voltar. Como foi bom vê-la, tão sábia, tão forte, tão serena, sem os óculos que antes carregavam seu semblante, e ficamos a recordar  os bons tempos em que ela dirigia a Escola, como conseguia reunir todos os alunos no pátio, e após a oração dar os avisos necessários, sem usar microfone, ou ter que falar mais alto por isso... Ela me relatou que teve um dia em que sua filha Carmem, que a gente chama de Neneca, um dia chegou na escola sem os sapatos, D. Wany a chamou no gabinente e ela lhe explicou que havia torcido o pé, D. Wany fez com que ela voltasse em casa viesse calçada com um pé de sapato e o pé machucado de chinelo... e que Neneca se lembra disso até hoje e ainda fica brava, por causa da severidade da mãe. Mas como era bom aquele tempo! professor era gente, e gente de respeito...Ficou lá atrás... Para D. Wany o meu abraço, a minha satisfação de ter sido aluno enquanto ela foi diretora, da EE São Bernardo! Um abraço. (Prof. Ton)
Ocorreu um erro neste gadget